quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Missões na África

Pois é, quem diria... Pisar no continente africano e poder falar lá da minha fé. Atravessar um oceano pra fazer diferença no meio de um povo que não é o seu. A consciência do que é um país africano, do que é a África, era algo tão ingênuo e vago na minha mente antes de visitar Angola e África do Sul. Os 27 dias em Luanda, capital da Angola, e os 14 dias em Johannesburg, maior cidade sulafricana, foram a princípio instrutivos. Eu pude ver o quanto era tolo nas minhas impressões sobre esses dois países.




Primeiro Luanda é uma cidade enorme e, pelo menos no que eu pude conhecer dela, um misto de nordeste brasileiro com favelas do Rio de Janeiro e ruas de Salvador. Muita poeira, lixo e pobreza. Imigrantes do Congo, de Cabo Verde, da Nigéria e de tantos outros países africanos. Isso sem contar os moradores de outras províncias que, para fugirem da guerra (debelada em 2002), fugiram para Luanda. Com capacidade para abrigar 400.000 pessoas mas com 2 milhões de habitantes, Luanda apresenta ausência de higiene, saneamento básico, água, recolhimento de lixo e outros diversos problemas decorrentes da superpopulação.
Mas nem tudo é causado pelo excesso de habitantes. A guerra e a colonização escravizante deixou suas sequelas na alma daquele povo. Sua aversão a turistas e, principalmente, a portugueses e um comportamento às vezes agressivo, mesmo nas crianças, pode criar uma atmosfera ameaçadora. Apesar disso o povo angolano é muito receptivo aos brasileiros, o que merece um capítulo à parte.



Os angolanos acompanham nossas novelas e telejornais, ainda que de forma inversa à nossa lei de audiência (lá a Rede Record é líder, seguida pela Rede Globo). Além disso eles ouvem nossas músicas, amam nosso futebol e aspiram vir para nossa terra, visitar nossas praias e cidades cheias de oportunidade (!). O gosto musical pode ser considerado duvidoso para muitos (eu, inclusive) porque bandas que fazem sucesso lá são KLB, Zezé de Camargo e Luciano e Calypso, entre outros.


Essa é, pelo menos, a impressão de alguém que ficou num dos bairros mais pobres de Luanda, o Palanca. Com problemas graves de tráfico de drogas, brigas de gangues, ruas engarrafadas e lixo por toda a parte o Palanca pode muito bem ser considerada uma favela angolana, apesar de ficar em uma região plana da cidade. Na casa em que ficamos, por exemplo (os fundos de um frigorífico brasileiro) tínhamos como vizinho da frente um viciado em drogas que constantemente recebia, à luz do dia, clientes e fornecedores. Mesmo numa realidade dura e perigosa as crianças da vizinhança foram muito abertas ao evangelho. Elas iam à nossa casa todos os dias espontaneamente para ouvir histórias bíblicas, aprender canções que falavam de Jesus e levar alegria e presentes (como esculturas de Jesus feitas de uma mistura de lama e lodo).

Esses problemas com drogas não eram, obviamente, exclusividade do Palanca. No orfanato que trabalhamos, Jesus Nuestro Modelo (http://www.jesusnuestromodelo.com/) encontramos crianças dependentes de drogas como a cola de sapateiro, tão comum nas ruas de São Paulo. Essas crianças, apesar dos esforços dos obreiros, não conseguiam ficar muito tempo na casa e logo voltavam para as ruas. Ao conversar com as crianças atendidas pelo orfanato, a maioria entre 8 e 13 anos de idade, notamos que muitas não eram na verdade órfãs mas que tinham ou fugido de casa ou tinham sido abandonadas. Depois de algum tempo em contato com elas a agressividade e inibição iniciais eram substituídas por demonstrações de afeto e carência.

Nas igrejas a realidade não foi muito menos dura com as crianças. Uma vez presenciamos numa igreja crianças serem impedidas de entrar porque estavam sem a roupa apropriada, o que era absurdo considerando a realidade em que viviam e que o culto era especialmente com atividades para crianças. Com isso percebemos uma infância subestimada e ignorada. Me faz temer o que virá na próxima geração...



Johannesburg, ou apenas Jo'burg, era uma cidade com toda a aparência de uma grande cidade de primeiro mundo. Ruas largas e limpas, uma aparente ordem nas ruas, prédios bonitos e economia forte. Essa aparência não durou muito tempo. A base da Jocum em que ficamos, sede do Joseph Project (http://www.josephproject.org.za/), recebia diariamente dezenas de crianças de 8 a 15 anos que não tinham espaço apropriado em suas casas para estudar. Isso acontecia porque cada cômodo das casas de aparência tão agradável abrigava uma família inteira. A pobreza contrastava com as ruas de aparência aristocrática. Ao passarmos em frente de uma mansão próxima à base da Jocum num trabalho de rua que estávamos fazendo uma das garotas que assistia da varanda perguntou se não tínhamos 5 rand para lhe dar (o equivalente a mais ou menos R$ 1,50).


Se em Luanda tínhamos encontrado agressividade em Jo'burg isso era mais incisivo. Mesmo as crianças demonstravam uma resistência veemente a qualquer repreensão vinda de um branco. Ainda assim, da mesma forma que em Angola, a recepção a brasileiros é boa, apesar de não conhecerem tanto da nossa cultura quanto seu vizinho africano. Também como em Angola e por motivos diferentes se encontram muitos imigrantes de outros países, muitos de língua portuguesa (apesar da língua oficial sulafricana ser o inglês - vale mencionar, um inglês britânico com uma pitada africana). Essa presença massiva dos chamados portugueses (assim eran chamados todos que falavam português) acabou estimulando o surgimento de várias igrejas de língua portuguesa, como algumas em que tivemos oportunidade de ministrar.



Foram duas experiências completamente diferentes em vários aspectos mas tão similares em outros. Perceber traços tão parecidos em pessoas vivendo em realidades tão diferentes e tão similarmente pobres nesses dois países me fez refletir sobre a miséria que habita o espírito humano a despeito da realidade ao redor. Eu sei que você vai me dizer "fácil pra você refletir sobre a miséria em 40 dias, queria ver você pensar assim depois de 10 anos". Mas eu arrisco dizer que sim, que a miséria habita no espírito de muita gente ali.
Pude confrontar a percepção da realidade de pessoas alcançadas pelo amor de Cristo e Sua Salvação e das pessoas sem esse amor. Pude ver crianças com os olhos brilhando ao contar pra elas histórias como a de Jesus curando uma mulher com fluxo de sangue ou a de Davi derrotando o gigante pelo poder de Deus. Esperança era o que alimentava aqueles olhares, a esperança de vida no meio do vale da sombra da morte. Esperança de que aos olhos de Deus não importava que eles fossem pobres, ou doentes, ou que tivessem sido abandonados por suas famílias. O Deus Todo-Poderoso ainda os amava e queria tê-los como amigos, como filhos. Que Ele acalentaria seus corpos frágeis e seus corações feridos. E isso não é pura linguagem poética, meu caro leitor. Para escrever essas palavras estou trazendo à minha memória os rostos e vozes e abraços daquelas crianças. Crianças angolanas, sulafricanas ou brasileiras, não importa. O amor de Cristo é o mesmo e faz o mesmo por todas elas. E eu pude presenciar isso.
Obrigado Pai...
Abaixo segue o vídeo de divulgação do projeto feito pelo Felipe Duarte, líder da equipe do projeto África

20 comentários:

rita disse...

missoes tebalho mais lindo que existe eu respeito muito o trabalho dos missionarios e horo por eles o tempo todo que DEUS abençoe vcs cada vez mais amem da sua irma em cristo rita

Claudemir Oliveira disse...

parabens pelo trabalho,missões sempre falou muito forte ao meu coração,já fui missionario abraços a todos.ass.Pb.claudemir assembléia de Deus- curitiba Pr.

Anônimo disse...

Parabens pelo trabalho, e mto bom sabermos que existem pessoas que nao penson só nelas! Eu tbm tenho mto vontade de ir pra lá, pra ajudar, pra ver, quero terminar a faculdade e assim ir la pra poder ajdar!!

Anônimo disse...

OLÁ!A PAZ DO SENHOR JESUS!QUE DEUS ABENÇÕE VOCÊS,POIS É PRECISO SE ANULAR P/ SER UM MISSIONÁRIO,DEIXAR SONHOS,É PENSAR SÓMENTE NO PROXIMO,PENSAR COMO CRISTO,AMAR COMO CRISTO AMOU E AMA,POR ISSO AMO VCS,PELA CORAGEM.PELA OBIDIENCIA,A PALAVRA DO SENHOR,QUE DEUS ABENÇÕE VCS HOJE E SEMPRE.BJS NO SEUS CORAÇÕESZINHOS.

la luna!! disse...

lindo trabalho! só DEUS MESMO pra trabalhar um coração,nao é qualquer um.... DEUS manda aqueles que estão realmente dispostos a fazer esse trabalho maravilhoso ao mesmo tempo complicado! pois as dificuldades elas existem! + DEUS levanta homems e mulhes que clamam por missoes! parabéns.

rodrigo disse...

Nossa tivemos um culto de missoes na igreja da qual eu congrego e fico muito feliz por Deus usar a vida de voces para levar o evangelho voces poderiao criar um blog so com fotos das viagens feitas

viviane disse...

Parabéns Felipe por este trabalho, sonho um dia assim como vc fazer um trabalho desses, amo crianças... Que Deus possa esta sempre derrame das bençãos d'Ele sobre sua vida e de sua família... Este ano faremos um congreço de Crianças que tem como título "Crianças fazendo Missões", pois devemos incentivar nossas crianças a levar o amor de Deus... A Paz do Senhor!

Anônimo disse...

Que trabalho lindo,desejo que Deus continue abençoando cada um dessa equipa maravilhosa! eu amo missões e dou a minha contribuíção orando pelas nações,em especial pela África,espero que um dia,eu possa ter uma oportunidade com essa.Te amo África!!!

ROMULO GURGEL disse...

MAIS QUE APENAS PARABENIZAR-LOS, TEMOS QUE ORAR POR VCS E PARA QUE DEUS CONTINUE LEVANTANDO PESSOAS DISPONIVEIS PARA O SERVIÇO E COLABOLADORES PARA ESTE ARDUO SERVIÇO

ROMULO GURGEL disse...

MAIS QUE APENAS PARABENIZAR-LOS, TEMOS QUE ORAR POR VCS E PARA QUE DEUS CONTINUE LEVANTANDO PESSOAS DISPONIVEIS PARA O SERVIÇO E COLABOLADORES PARA ESTE ARDUO SERVIÇO

ane disse...

que Deus continue abençoando voces,eu ja orava pela Africa,vou orar mas,pois meu sonho e evangelizar na Africa.

Anônimo disse...

o SENHOR JESUS É A EXPLICSÇÃO PRA TUDO ISSO, QUE DEUS CONTINUI LEVANTANDO MISSIONARIOS ASSIM. (O PODER DE DEUS VAI DESTRUINDO AS FORTALESAS DE SATANAZ,PARA DAR FORÇAS AOS MISSIONARIOS DA ANGOLA, E EM TODO MUNDO.

lima disse...

parabens lindo trabalho;;;;;;

Anônimo disse...

Cara, que bençao... é verdade o q vc escreveu... inacreditavel pensar q podemos atravessar o continente para declararmos a nossa fé e compartilharmos com pessoas com outra cultura, outra fé.. dia 20 estarei indo pra moçambique... renato.golla@gmail.com

Fazendo Missões JRS disse...

Que Deus continue derramando uma chuva de benção sobre sua vida, pois,a obra missionaria é para aqueles que amam a Deus sem se importa com as consequencia para si proprio.

Miss. Mauricélia disse...

Graça e paz aos amados missionários, parabenizo pelo trabalho. sou missionária também com muita honrra e sinto a chama missionária dentro de mim, que Deus fortaleça a cada um dos amados com sua graça.

Anônimo disse...

Oi, Boa Noite, lindo o trabalho de vocês....Gostaria de saber como que faço para participar.
espero o contato de vocês, pelo meu email.

katyane_scotine@hotmail.com.

Fiquem com Deus, e mais uma vez Parabêns pelo lindo trabalho.

Lidia dependente da misericórdia de Deus. disse...

Toda honra e toda glória seja dada a Deus, pois Ele é fiel e justo.
Deus de misericórdia e bondade...
Deus de um amor inigualável, tão grande e tão forte, capaz de tocar os corações de uma forma indescritível...
Capaz de colocar o seu amor em nosso corações e nos capacitar para cumprir o seu ide...
Que Deus abençoe a vida de cada um de vocês.
A recompensa é certa!
Ele virá resgatar quem o esperou.
A Paz do Senhor!!!
Abraços.

deise disse...

k deus possa fortaleser o ispiritual a vinda de esta procima

Francy disse...

Missões, sou apaixonada por missões, amo missões, haja vista que eu tenho uma linda chamada missionaria, estou esperando o tempo de Deus para que se cumpra as promessas, amoo missões, é só ouvir falar de missões que minha alma se alegra, enche de gozo, em saber que almas estão perdidas, esperando os missionários para resgata-los do mundo de perdição e horror.